LOGO TOP bioforma facebookbioforma twitterbioforma youtubebioforma instagrambioforma pinterest
  LOGO TOP bioforma facebookbioforma twitterbioforma youtubebioforma instagrambioforma pinterest

logo bioforma top

Bioforma mobile logo


Publicado em Saúde por Cristina Usnik
 

Cristina

imagem_maravilhas_coco

 

O coco é um fruto altamente versátil! 

Dele, consegue-se obter os mais diversos produtos e o melhor de tudo, é que cada vez mais, descobrimos os seus imensos benefícios e aplicações.

Lá em casa, já quase não há refeição onde não entre algum produto derivado do coco. 

 

Água de coco … o aliado ideal para os dias mais quentes

 

imagem_agua_coco

 

Ainda me lembro da primeira vez que bebi água de coco. Foi em São Paulo, em pleno Parque Ibirapuera. Estava um dia muito quente, a sede apertava e o “senhor do coco” estava mesmo em frente ao parque. Confesso que as expetativas eram muito altas e que o sabor acabou por não corresponder ao que esperava. Tinha 15 anos e para mim, não era água, não era doce como o sumo, era estranho. Bem, não sei se também não contribuiu o facto de ver “1001” moscas a voar em volta do “carro do senhor dos cocos”…uma verdadeira desilusão.

Hoje em dia, no auge dos meus 33 anos ;), faço-o com muito gosto, principalmente nos dias de maior calor. Rica em vitaminas, aminoácidos, hidratos de carbono, antioxidantes, a água de coco tem um conteúdo eletrolítico semelhante ao plasma humano e é por isso, considerada por muitos como o melhor reidratante oral. E o melhor…hoje em dia já estão disponíveis no mercado uma série de águas de coco com sabor a frutos tropicais, manga, ananás,…, é só escolher ;)

 

Óleo de coco

 

imagem_oleo_coco_bioforma

 

Um dos produtos que mais utilizamos lá em casa é o óleo de coco. 

Sou uma verdadeira fã!

Comecei por utilizá-lo como substituto do azeite, nos meus cozinhados. Hoje em dia, utilizo-o na cozinha, utilizo-o para hidratar a pele e o cabelo, principalmente nesta altura de Verão, e devo confessar que até já o consumi puro, tirado diretamente do frasquinho. Dizem as pessoas mais antigas, que o óleo de coco é um excelente coadjuvante no combate de infeções fúngicas, bacterianas e virais, além de contribuir para a queima de gordura corporal.

O segredo parece estar no tipo de ácidos gordos que está presente no óleo de coco.

Contrariamente ao que era pregado antigamente, hoje em dia, sabemos que as gorduras saturadas até podem ser benéficas para a nossa saúde.

É o caso do óleo de coco. Colocado de parte, durante muitos anos, pelo facto de ser uma fonte de gorduras saturadas, o óleo de coco passou de vilão a herói da história, num abrir e fechar de olhos.

A maior parte dos ácidos gordos obtidos a partir da dieta são ácidos gordos de cadeia longa. Os ácidos gordos presentes no óleo de coco (triglicéridos de cadeia média) são metabolizados de forma diferente. Vão diretamente do trato digestivo para o fígado, onde são utilizados como uma fonte rápida de energia. Aqui parece estar o seu segredo para a perda de peso  ;) A gordura não fica acumulada no nosso corpo e é utilizada como fonte de energia.

 

Farinha de coco

 

imagem_farinha_coco_bioforma

 

São cada vez mais as pessoas que, por intolerância, alergia, ou simplesmente, por opção, preferem retirar ou restringir o consumo de alimentos com glúten.

No que toca a farinhas, a farinha de coco pode ser uma opção!

Obtida a partir da “carne” do coco, a farinha de coco é também, muito utilizada na dieta Paleo, ou por pessoas que pretendem alternativas às farinhas provenientes de cereais. É uma ótima fonte de proteína e fibra.

 

Contudo, cozinhar com esta farinha pode requerer alguns truques:

 

- A farinha de coco não pode substituir a farinha de trigo ou outras farinhas provenientes de cereais numa proporção 1:1

- A farinha de coco absorve muito e por isso não é preciso utilizá-la em grandes quantidades para fazer uma receita.

- Geralmente, 1 chávena de farinha de trigo, ou qualquer outra proveniente de cereais, pode ser substituída por 1/3 ou ¼ de chávena de farinha de coco.

- Pode também sentir a necessidade de aumentar o número de ovos (ou substitutos dos ovos) na sua receita, para evitar que a farinha fique muito “seca”

- Como alternativa, pode sempre optar por fazer uma mistura de farinhas 

 

© 2016 Nutrimadeira, Lda
Todos os direitos reservados
  Desenvolvido por:
IMart8.pt e DeniseJ.