LOGO TOP bioforma facebookbioforma twitterbioforma youtubebioforma instagrambioforma pinterest
  LOGO TOP bioforma facebookbioforma twitterbioforma youtubebioforma instagrambioforma pinterest

logo bioforma top

Bioforma mobile logo


Publicado em Estilo de vida por Márcia Elias
 

Márcia Elias

imagem-pao-essenio

 

Adoro ir para a cozinha com minha filha! Especialmente quando arriscamos algumas receitas super atuais e cheias de vida, como são os germinados

Este pão é de trigo Bio germinado, o verdadeiro pão essénio. Conhecem? 

Os essénios são aquele povo judaico que cozinhava no deserto. Os seus alimentos estavam em contato com a luz do sol, ar e água…portanto cheio de energia e vitalidade da mãe natureza!

 

O trigo quando demolhado, ou ainda fermentado, faz com que as moléculas do glúten se quebrem parcialmente, tornando-se mais digeríveis pelo nosso organismo.

Desde que iniciamos as práticas de workshops no restaurante naturista, descobri que o demolhar ajuda-nos muito a “entender” o comportamento dos cereais, bem como das sementes ou das leguminosas. Permite-nos cozê-los e comer de forma simples, ou seja sem grandes transformações ou mesmo para utilizar em alguma receita mais elaborada.

 

O arroz integral é um grande exemplo disso. Quando demolhamos, o seu cozimento é muito mais rápido e para quem quer “fazer diferente”, anima poder ver o cereal a amolecer. Além do mais, quando demolhamos, os antinutrientes são neutralizados e há um aumento da produção de enzimas digestivas, o que permite uma melhor absorção das vitaminas. 

Aqui, a questão que gostaria de passar para vocês é que para “fazermos diferente” temos que ter alguns “gatilhos”! Devemos saber por onde começar, qual é seu estilo preferido na cozinha e no paladar. Muitas pessoas não vivem sem arroz…então que tal experimentar o integral demolhado?

 

Quantos não “vivem” sem pão?! Que tal experimentar um pão de trigo germinado?! E é bem provável que ao dedicar-se a uma receita nova, nos dias que seguem, não vá comer o pão processado de farinha branca ou arroz branco cheio de parafina e amindo. E assim, o paladar começa a despertar para outro caminho, abre-se uma nova rede no próprio cérebro para um outro tipo de alimento.

Quando levo a minha filha para a cozinha, é mesmo com a intenção de criar novas redes neurais já na infância e para que ela seja capaz de tanto comer um refinado numa festa como um pão germinado em casa, ou gelatina de agar agar na escola ou manteiga de grão-de-bico com sésamo ou gelado de pitangas congeladas… sem limitações, porém, com muita consciência daquilo que nós adultos apresentamos para os mais pequenos.

E nada melhor que pôr a mão na massa!

 

A receita é a seguinte:

 

1º passo: 1 chávena de grão de trigo Bio, de molho uma noite. No dia seguinte, escorrer a água e deixar numa peneira. Lavar de manhã e à noite (ao pequeno almoço e ao jantar) até surgir o “narizinho” que é o início da germinação (o meu ficou muito grande mas também deu certo).

 

pao_essenio_passo1

 

 

2º passo: colocar num processador e moer até formar uma massa. É incrível como ao bater, realmente, o trigo já vira pão. Fiz uma coisa que não deveria! Antes de bater lavei e ficou muito húmido, demorou muito no passo seguinte.

 

pao_essenio_passo2

 

 

3º passo: Moldar a massa. Como a Mariana está a fazer as experiências, até encontrar aquela que mais gosta, passamos por sal (a massa é bem doce, na próxima não vou colocar) e sementes diversas (linhaça, girassol, sésamo…).

 

pao-essenio-passo3

 

 

4º passo: Este é aquele que me deixou mais ansiosa pois é muito novo na minha vida: a desidratação. Liguei o forno até aquecer bem, depois desliguei e coloquei os pãezinhos. Ficaram lindos, diferentes!

 

pao-essenio-passo4

 

Hoje fico mega feliz em poder mostrar para a Mariana que uma cozinha saudável é bem possível e está ao alcance de todos!

 

© 2016 Nutrimadeira, Lda
Todos os direitos reservados
  Desenvolvido por:
IMart8.pt e DeniseJ.